De Olho no Distrito 09/02

09 Fevereiro 2018 11:48:00


Bom dia, Distrito!

Vida que segue pós-chuvas e limpezas. A comunidade já se esquecendo aos poucos do prejuízo e reconstruindo e comprando a medida do possível tudo que foi levado ou danificado pela água. Sabe-se, porém, que ruas e tubulações não vão embora e sim ficam cada dia mais obstruídas com acúmulo de terra e material levado pelas enxurradas, piorando em sua maioria o fluxo das mesmas, pois onde pouco passava com as chuvas frequentes hoje pode nem passar nada.

Se falássemos somente das tubulações e pedíssemos a limpeza e desassoreamento já teríamos assunto para uma coluna bem rica, mas temos de abranger outras deficiências do atual governo e seus "escolhidos". Sim, só podem ser apadrinhados para serem tão intocáveis - os comandantes de certas Secretarias, ou seja, continua o que tanto criticavam: têm alguns que por sua proximidade ao prefeito ou por ter dado grande apoio a campanha ainda não tirou sua fatia investida.

Vamos analisar algumas dificuldades que o Distrito está enfrentando. As chuvas vão e vem. Isso é conhecido da região, certo é que quando passam os períodos de maior frequência tem que ser feito um balanço das prioridades a serem tomadas, acabar com as enxurradas não é fácil somos dependentes inclusive de que a maré não suba.

O que nos deixa sem esperança é ver que não foi feito nenhuma limpeza de tubulação ainda, as tubulações estão cheias de lama e areia secando, ou seja, não demora muito para entupirem. Boca de lobo sem limpeza também contribui para que em uma chuva bem fraca as ruas e casas sejam alagadas novamente. Preocupa-nos o descaso com as entradas do Distrito a Rua Peroba, por exemplo, o mato alto na entrada dificulta a visão dos motoristas que saem dela sentido a Marginal, ali próximo também tem a Rua Jatobá que sofre com a lama e buracos por não ser tão transitada tendo somente uso dos moradores que talvez já se acostumaram com o esquecimento.

Outros questionamentos, como a Rua João Acácio Simas que faz um desafogamento no trânsito da Avenida Santa Catarina sem igual, levando os moradores pelo Bairro Conde Vila Verde ao Monte Alegre. Foi realizada manutenção com a patrola, porém é preciso que seja colocado um material que a deixe transitável por mais tempo, não adianta somente passar a máquina sem melhorar a estrutura da via.

No bairro Tabuleiro, que por sinal é onde mora o prefeito, não é diferente. Ruas como Tajuba, Tulipa, Marmeleiro e Seringueira são afetadas sempre nessas enxurradas e a coleta de entulhos de móveis danificados foi feita somente no início da semana. Uma semana após as chuvas. Manutenção na rua? Só mesmo a patrola passando espalhando o material que fica amontoado em parte da rua.

O Distrito está de modo geral sem atenção. As necessidades básicas: conserto de buracos, limpeza de boca de lobo e tubulações, a molha das ruas que ainda não receberam pavimentação, nada é feito. Isso falando só do que compete a Secretaria de Obras.

O pedido da comunidade é simples: que se faça o possível, mas que uma resposta seja vista. Queremos ver algo novo acontecer. Uma previsão de quem iniciem estas obras, ou parte delas. Porque uma coisa não se pode reclamar: o povo do Distrito é paciente. Na próxima partiremos para outra área.

Fiquem na Paz...



linhapopular sim




Logo branca.png

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina