Linha Legal

Agora vai...

Por Cacildo Cardoso Filho

 A partir de 27 de janeiro de 2020 as Placas do Mercosul começarão a ser implantadas em todos os veículos de Santa Catarina. Prazo final estipulado pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) é até 31/01/2020. No modelo alguns elementos serão novos, por exemplo, não haverá lacre na placa traseira, e cada placa terá um QR Code onde constarão todas as informações pertinentes à placa.


Esta padronização com o modelo Mercosul deveria ter entrado em vigor em 2016, mas já foi adiada quatro vezes pelos órgãos executivos de trânsito. A Regra é que em 2020 todos os Estados do país devam regularizar a nova placa.

As placas do Mercosul foram definidas em resolução em 2014 e já são utilizadas na Argentina e no Uruguai. A proposta foi feita para criar um banco de dados único entre os cinco países do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela), semelhante ao que existe na União Europeia. Isso facilita o combate ao tráfico de veículos roubados inclusive nas fronteiras, já que as informações de cada automóvel ficam disponíveis em várias nações.

Como e quando seria substituída:

Inicialmente para Carros novos; Veículos que passaram por transferência de proprietário; Veículos que passaram por mudança de município; Veículos que trocaram de categoria (um táxi que vira um carro de passeio, por exemplo); Veículos cuja placa atual não foi aprovada em vistoria e/ou está ilegível ou danificada. A substituição se dá em alterar o antepenúltimo número pela letra na ordem alfanumérica, senão vejamos:

As novas placas também aumentam o número de identificações possíveis, já que passam a adotar mais letras do que números. No Brasil, o atual padrão pode se esgotar nos próximos anos.

Anteriormente, estava previsto que as identificações deveriam indicar os brasões do Estado e do município onde o carro seria emplacado. Agora, os símbolos foram retirados. O sistema que registra as informações dos veículos já está apto a usar o padrão, mas o Detran/SC ainda está lidando com as exigências.

Muitas queixas surgiram por não constar a cidade do emplacamento na placa, dificultando uma direta identificação de onde seria o seu proprietário. Porém existem aplicativos que é possível consultar imediatamente de onde é o veiculo.

Fonte: Ministério das Cidades / Divulgação



linhapopular sim




Logo branca.png

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina