Labirintite - Causas, Sintomas e Prevenção

Rogério Tolardo é Farmacêutico / Consultor de Negócios, Mestre em Ciências Farmacêuticas pela Univali, com MBA em Gestão Empresarial pela FGV

A labirintite é uma doença desencadeada a partir de uma inflamação ou infecção da estrutura interna do ouvido chamada de labirinto. O labirinto é uma estrutura da orelha que quando afetada compromete tanto o equilíbrio (vestíbulo) quanto a audição (cóclea). Os sintomas costumam ser mais intensos nos primeiros 4 dias da instalação da infecção ou inflamação, podendo diminuir gradualmente ao longo das próximas 3 semanas até desaparecerem por completo.

As causas que originam o quadro de labirintite ainda não estão totalmente esclarecidas. Mas, sabe-se, que certas infecções como otites, resfriados, doenças neurológicas, certos tipos de tumores, alterações genéticas e processos alérgicos podem ter papel desencadeante da doença.

Durante as crises de labirintite, áreas do ouvido interno normalmente estão inflamadas ou irritadas, fazendo com que os nervos do vestíbulo enviem sinais imprecisos ao cérebro, sinais que o corpo está em movimento. Entretanto, sentidos como visão não detectam o movimento, este conflito de informações causa confusão entre os sinais recebidos e, consequentemente, a perda das noções de equilíbrio ocorrem provocando famosas tonturas ao paciente.

O que se sabe hoje é que a labirintite ocorre com mais frequência após os 40 anos de idade e em pacientes com níveis elevados de colesterol, triglicerídeos e ácido úrico. Mas, também, existem evidências que a doença pode ocorrer em qualquer idade, com uma maior incidência em mulheres que em homens.

Observe os fatores de risco que podem aumentar as chances de desenvolver a labirintite:

  • Hipoglicemia (quando os níveis de açúcar estão muito baixos) 
  • Diabetes
  • Hipertensão
  • Otites (infecção ou inflamação do ouvido)
  • Uso abusivo de álcool
  • Consumo de tabaco
  • Estresse e ansiedade
  • Consumo excessivo de café
  • Jejum prolongado

Os sinais percebidos no início da labirintite incluem  

  • Tontura
  • Diminuição da audição
  • Náuseas e vômitos
  • Zumbidos no ouvido
  • Queda de cabelo
  • Dor de cabeça
  • Suor
  • Líquidos ou secreções saindo da orelha

  Caso você tenha se identificados com os sintomas da labirintite, procure o médico otorrinolaringologista para diagnosticar precisamente os sintomas através de exames como tomografia computadorizada, ressonância magnética e testes labirínticos. Por vezes, outras origens que não ouvido/labirinto podem contribuir para surgimento da doença, nesses casos, o cardiologista ou neurologista são indicados para o diagnóstico. 

O tratamento para labirintite deve ser indicado pelo médico, de acordo com o diagnóstico para cada paciente, nunca se automedique.  

Procure se prevenir da doença, tomando alguns cuidados: 

  • Não fume  
  • Evite consumir álcool
  • Não permaneça por longos períodos sem se alimentar
  • Ingira bastante líquidos, evitando bebidas gaseificadas
  • Procure evitar situações de ansiedade e estresse
  • Controle os níveis de colesterol, triglicerídeos e glicemia

Os sintomas mais graves da labirintite normalmente tendem a desaparecer em uma semana. Para maioria dos pacientes a melhora completa pode ocorrer em até três meses, dependendo da idade, portanto, quanto mais cedo a doença for diagnosticada e tratada, maiores as chances de recuperação e sem sequelas.  

Durante as crises procure repousar num ambiente escuro e sem barulhos ao redor, evite leituras e movimentos bruscos, como mudanças de posição repentinas.  

Com a diminuição dos sintomas da labirintite, procure retornar gradualmente as atividades normais, lembre sempre de optar por alimentos saudáveis e procure realizar atividades físicas sempre que possível.



linhapopular sim




Logo branca.png

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina