Mudança de Hábito

O meu combustível era arroz e feijão.

Por André Pereira Filho

Neste feriadão, concretizei um plano que vinha maturando a muito tempo: Desbravar a serra catarinense de bicicleta. Foram três dias de viagem com um total de 313 km pelas rodovias impecáveis de Orleans, Lauro Muller, Bom Jardim da Serra, São Joaquim, Urubici retornando a Orleans. 

É a terceira vez que faço ciclotour. Garanto que esse meio de viagem é muito seguro, além de contribuir para a sua saúde física, fortalece muito a saúde mental.

Iniciamos a jornada de Camboriú a Orleans de carro, partimos de bicicleta em direção a Lauro Muller para subir a Serra do Rio do Rastro até Bom Jardim da Serra. Antes de partir enquanto arrumávamos as bicicletas, um ciclista local parou para conversar. Nos indicou um caminho seguro, seguindo pelo interior de Orleans sem trânsito de carros e caminhões. Ele também contou que subindo a serra é possível sentir todas as estações do ano em um só lugar e realmente dá para sentir bem esta sensação.

No começo o sol é intenso, muito calor. Ao entrar na serra o trânsito é constante, a estrada passa no meio do cânion, é aí que o frio entra. A humidade a sombra e a roupa molhada te faz tremer de frio. A subida fica cada vez mais íngreme e divertida. É possível encontrar vários ciclistas no caminho, o semblante é sempre o igual: dor e amor ao mesmo tempo. Lá você encontra todo o tipo de pessoa. Ajudamos duas meninas com o carro superaquecendo. Para nós não custa nada, ajudar o próximo é sempre válido.

Ao chegar ao topo da serra a vista é incrível, o frio e o vento cortante te congelam. Almoçamos e partimos para São Joaquim, um céu sem nuvens e um asfalto limpo, neste dia somamos 101 km rodados com quase 4.000 metros de subida. Em São Joaquim quase não tinha hospedagem, (sempre faça reserva), o frio era suportável na rua, levamos pouca roupa, no ciclotour a palavra de ordem é o minimalismo.

Partimos rumo a Uribici pela SC-110, asfalto impecável, repleto de placas com a frase: "respeite o ciclista", pensava comigo: "Que orgulho de ser catarinense! " Motoristas educados, motociclistas parceiros sempre nos cumprimentavam. Descemos cerca de 1.600 metros. Ouvimos música no caminho quando tinha 4G, se o sinal não pegava, meditávamos contemplando a paisagem ou conversávamos sobre a vida. Em Urubici visitamos alguns lugares turísticos, após pedalarmos 91 km achamos uma pousada para descansar.

De manhã partimos para Serra do Corvo Branco, antes subimos até o Cânion Espraiado, um lugar que só acessa veículos off road com uma vista deslumbrante. Na descida tivemos um bagageiro quebrado, nessa hora temos que pensar rápido. Amarramos a bagagem na bicicleta e pedalamos mais 60 km para completar a jornada finalizando em Orleans. Contabilizamos 313 km rodados, 7000 metros subindo, dois tombos, dois bagageiros quebrados um corta vento rasgado, perdi 2 kg e ganhei muita história para contar. Agradeço a Deus pela saúde para encarar este desafio e ao @rkrauser meu irmão pela parceria nesta cicloviagem!!  


linhapopular sim




Logo branca.png

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina