Os ALIMENTOS GORDUROSOS e a DEPRESSÃO

30 Setembro 2018 08:05:00


Combatida pelo risco de aumento de colesterol e obstrução das artérias, a ingestão de alimentos ricos em gorduras trans e saturadas também aumenta os riscos de depressão, segundo estudos.  

O número de pessoas com depressão cresce a cada ano. A causa, segundo os cientistas, está na mudança radical da fonte de gorduras consumidas na dieta, onde gorduras benéficas como as encontradas nas sementes, óleos vegetais como azeite de oliva, óleo de coco, linhaça e gergelim, e nos peixes, pelas encontradas nas carnes, massas de produção industrial e comidas rápidas.

 As gorduras de origem vegetal, como a do azeite de oliva e do abacate, por exemplo, ricas em ácidos graxos ômega 3 atuam na proteção do organismo contra riscos de doença mental.

Alimentos com potencial antidepressivo:

Aveia: Reduz níveis de colesterol e previne doenças cardíacas;

Peixes: Principalmente os ricos em Ômega 3 que reduz a pressão arterial (salmão, sardinha, cavala);

Abacate: Reduz LDL (colesterol ruim) e aumenta HDL (colesterol bom) e protege o sistema nervoso

Azeite de oliva: Reduz o mau colesterol e diminui risco de doença cardíaca

Sementes (amêndoas, castanhas, nozes, linhaça, chia): Ricos em graxos Ômega 3 e selênio que previnem a depressão e o câncer;

Frutas vermelhas e roxas: Ricas em anti-inflamatórios, que reduzem o risco de doenças cardíacas e câncer;

Açafrão: Rico em curcumina com efeito anti-inflamatório, imunizante e contra a ansiedade

Biomassa de banana verde: Atua no equilíbrio da microbiota intestinal aumentando a produção de serotonina que estabiliza o humor;

Batata doce: Carboidrato do bem de baixo índice glicêmico e grande poder de saciedade e boa digestibilidade;

Iogurte natural ou kefir: Contém substâncias probióticas que ajudam nas funções gastrointestinais e aumenta a imunidade




linhapopular sim




Logo branca.png

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina