Saúde Mental

SER CONGRUENTE

Por Joyce de Almeida Cruz

Essa atitude diz muita coisa importante e gostaria de destacar a relação que tem com a forma que lidamos com nós mesmos, de sermos honestos e coerentes com o que faz sentido em nossas vidas respeitando a nós e também aos outros. 

De acordo com o dicionário da língua portuguesa alguns significados da palavra congruente são: coincidente ou correspondente em características, em propriedades etc.; conforme, concordante, harmônico.

Na psicologia ser congruente significa: ser coerente, fidedigno, estar em harmonia ou concordância com o que geralmente é considerado razoável, conveniente ou apropriado. O psicólogo humanista Rogers destaca a importância dos terapeutas agirem de maneira congruente favorecendo de maneira positiva o processo terapêutico e melhora do paciente. Isto especialmente porque quando o psicólogo é congruente demostra que é merecedor de confiança e por isso a relação terapêutica se torna mais eficaz.

Agora vamos pensar sobre a congruência no dia a dia e sua função. Em quantos momentos você já se sentiu "obrigado" a fazer ou falar algo da qual você não se sentiu bem? Gostaria de destacar aqui o quanto vivemos as expectativas dos outros e não o que realmente faz sentido pra nós. E lá dentro, em seu eu interior, você sabe que não está sendo honesto consigo mesmo e tão pouco congruente. A ausência de honestidade consigo mesmo em algum momento pode culminar num processo de sofrimento que consequentemente pode gerar adoecimento emocional.

Quando falamos sobre congruência também nos atentamos para o conceito de aceitação incondicional, aceitar incondicionalmente não significa aderir ou incorporar comportamentos e valores das quais a gente não compactue, mas de respeitar a existência dos mesmos e caso seja questionado de responder em paz que não compactua, e que entende de outra forma, nunca deixando de considerar que sua percepção e atribuição de sentido pode ser diferente do outro e isso deve ser respeitado.

È totalmente possível viver sem máscaras, sem camuflagem, sendo verdadeiro e vivendo as coisas que fazem sentido para você. Um apoio importante nesse processo pode ser encontrado através da empatia, porque ser congruente não tem nada haver com falta de sensibilidade, mas que cada um pode explorar dentro de si maneiras para que os seus posicionamentos não sejam agressivos com os outros.

Importante destacar que as pessoas congruentes muitas vezes constroem e cativam confiança nos outros, isso porque essas pessoas são coerentes com o que sentem por dentro, se aceitam sem enganar a si mesmos ou aos outros, e essa atitude promove saúde mental. Pessoas congruentes agem com coragem e com enfrentamento importante do que socialmente nos foi entregue, pois na grande maioria não fomos ensinados a mostrar o que sentimos, e pelo contrário, fomos estimulados desde pequenos a esconder nossas verdadeiras emoções para melhor aceitação social.

Ser congruente implica num pacto de honestidade consigo mesmo. A busca dessa harmonia interna estimula o equilíbrio entre o que se sente, pensa e faz, e que tudo isso tem o potencial de tornar nossos relacionamentos mais verdadeiros e autênticos. Assim, para que seja possível ser congruente na relação com o outro, preciso primeiro começar por mim mesmo.

Seja a melhor versão de você mesmo! E que essa versão seja coerente e faça sentido primeiramente para você.

Joyce de Almeida Cruz 

Psicóloga Clínica

CRP 12/11350

(47) 99905 2536 - whatsapp

Joyce.cruz.5473 - instagram



linhapopular sim




Logo branca.png

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina