DIA DAS MÃES

Quando nasce uma mãe

12 Maio 2018 11:24:23

Mãe de primeira viagem, a jovem Daniele aprende diariamente que a maternidade é uma caixinha de surpresas

Foto: Arquivo Pessoal

A pequena Júlia nasceu no dia 14 de dezembro de 2017. Ela é a primeira filha do casal Daniele Leal, 20 anos, e Sidiney Pereira, 23 anos. A jovem mãe conta que ainda aprende no dia a dia sobre a maternidade e que muitas expectativas, não se mostraram reais. Infelizmente, como todos comentam, as noites de sono para Daniele se tornaram raras. Daniele tem aprendido um lado da maternidade que muitas mães, preferem fingir não existir: ser mãe às vezes dói, ser mãe é abrir mão de muitas vontades em prol do bem estar de outro alguém.

- Eu achava que ela iria só mamar e dormir. Até foi assim nos primeiros dias, mas depois não - conta com a filha de quase cinco meses nos braços.

Enquanto conversamos, Júlia brinca, dá risada e mexe os pezinhos cobertos pela roupinha laranja. Enfeitando os ralos cabelos escuros, uma faixa com um laço branco. Daniele e o marido - que já foram personagens do especial de Dia dos Namorados do Linha Popular, em 2017 - falavam em filhos, mas a possibilidade era pequena para Daniele. Ela tinha ovários policísticos, e por isso acreditava que não ficaria grávida.

Contrariando todas as estatísticas e possibilidades: ela descobriu-se a espera da primeira filha. A gestação não foi tão simples, dos desconfortos corriqueiros a pequenos problemas de saúde começaram a preparar a mãe de primeira viagem para o que viria.

Então sob o céu de sagitário, Júlia nasceu. Uma criança saudável, fazendo a avó chorar de emoção e a mãe suspirar de alívio. Daniele é a mais nova dos filhos de Maria de Fátima Leal, e para esta avó ver o seu bebê tendo um bebê não poderia ser fácil mesmo.

Elas moram lado a lado, e é avó quem ajuda a Daniele a cuidar da pequena no dia a dia: fazendo dormir e auxiliando a mãe em cada novo passo. Cada dia é uma surpresa diferente. Logo nos primeiros meses de vida, descobriram que Júlia sofria de alergia à proteína do leite. Seria o começo de uma dieta restritiva para mãe e filha.

Foram noites mal dormidas, gastos com pediatras e intermináveis viagens - para as consultas, para o hospital, para visitar os parentes distantes - que configuraram os primeiros meses de vida da primogênita.

- Já deu meia noite e eu pensei: não, logo ela dorme. Mas aí deu uma, duas, três da manhã, e quando eu vi o sol já estava nascendo.

Dormir uma noite inteira ainda é raridade. Júlia só dorme encostada na mãe, seja de bruços sobre a barriga, como faz em dias que tem cólica, ou usando o braço como travesseiro. Acorda três, quatro vezes para mamar e volta a dormir.

Daniele admite que a maternidade não é simples, e não pensa em ter outros filhos por enquanto. Mas, admite que a maternidade tenha seus louros. Quem resiste a quando a pequena dá risada, com um largo sorriso ainda sem dentes? Todo o trabalho faz sentido.


linhapopular sim




Logo branca.png

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina