Roça Cechet: família que planta unida (e que cuida do meio ambiente)

Pai, mãe e filha plantam, colhem e comercializam produtos que não utilizam agrotóxicos durante a produção

Há aproximadamente 15 quilômetros do centro de Camboriú, uma família vive do que a terra dá, literalmente. Ou do que a família planta nela. Pai, mãe e filha plantam, colhem e comercializam os produtos diretamente ao consumidor final, sem atravessador. Mas o principal atrativo dos produtos é a forma de cultivo: totalmente sem o uso de agrotóxicos. É a Roça Cechet, localizada no Braço, área rural de Camboriú.

A rotina começa cedo: Felix Cechet acorda antes e já começa os preparativos para mais um dia no campo. A filha, Maria Joana e a esposa, Eliete, logo chegam para ajudar. Todos pegam junto, mas a coordenação do plantio fica a cargo de Felix; Maria Joana comercializa e cuida da entrega dos produtos. Cabe a Eliete a produção de produtos em conserva como pepino, brócolis, couve-flor e outras delícias como doce de banana e geléia de morango.

Em busca da certificação de Roça Orgânica

Faz um ano que a família Cechet adotou esse novo método de plantio, totalmente sem uso de agrotóxicos. Com isso, o processo de certificação de produtor orgânico está no período de transição. Após esse período, o órgão certificador analisa e se tudo estiver dentro dos parâmetros, a certificação de Roça Orgânica é concedida. Felix Cechet, que é técnico em agropecuária e agricultor, explica a diferença entre a agricultura convencional e a orgânica: " A grande diferença é que não podemos mais lançar mão de agroquímicos, tanto para controle de pragas e fungos tanto para uso de adubos minerais.O grande pilar de sustentação da plantação orgânica é o equilíbrio entre a produção, as pragas e tudo que envolve o meio ambiente", declara. 

Isso significa que o capim, flores, insetos e a produção convivem em harmonia. Um canteiro não pode estar limpo como na plantação convencional. Felix explica: "quando houver um ataque de uma praga, tem que ter algo para alimentá-la, algo para ela comer: flores e capim são alternativas que mantém esse equilíbrio", explica. Os insetos também fazem parte importante desse processo. Insetos maiores comem os menores que se alimentam das plantas, por isso os bichinhos são bem vindos na plantação. 

Variedade de produtos 

A variedade de produtos produzidos na Roça Cechet é grande: desde morango e banana, passando por salsa, cebolinha, coentro, vagem, feijão preto e vermelho, pimentão, rúcula, alface, repolho roxo, tomate, entre vários outros. Quem cuida da comercialização é a engenheira ambiental Maria Joana. Ela explica que a venda é feita direta ao consumidor, que recebe uma lista de produtos pelo WhatsApp. A entrega é feita duas vezes por semana, às segundas e quintas, em Camboriú; nas terças e sextas, é a vez de Balneário Camboriú receber os produtos. A entrega é feita diretamente na casa do consumidor. "Nossa prioridade é a variedade dos produtos, e não a quantidade.Além disso, priorizamos vender o que produzimos, com exceção de três produtos obtidos em fornecedores de confiança: farinha de mandioca, melado de cana de açúcar e mel", comenta. 

Desperdício é uma palavra proibida na Roça Cechet: todo o material excedente, por ser perecível, é aproveitado em compotas, conservas, pães e doces. A responsável por esse processo é Eliete Cechet, que produz as delícias em uma cozinha especialmente montada para essa finalidade. Além dos produtos já citados, ainda é produzido extrato de tomate comum e também temperado com pimentão e outras ervas, bolo de banana e bolo de aipim. 

WhatsApp para pedidos: 47 99241-0683




linhapopular sim




Logo branca.png

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina