Nota do Ideb sobe, mas segue a pior da região

08 Setembro 2018 08:00:00

Camboriú atingiu índice 5,6 nos anos iniciais, o último entre os 11 municípios da AMFRI

Foto: Divulgação PMC

O Ministério da Educação divulgou, nessa semana, o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do ano de 2017. Camboriú alcançou nota 5,6, ultrapassando a meta estipulada de 5,4 e melhorando o índice anterior, de 5,2. A cidade, porém, continua com o pior Ideb entre os 11 municípios da Foz do Rio Itajaí,  

O índice foi criado em 2007 e reúne, em um só indicador, os resultados de dois conceitos de qualidade da educação: o fluxo escolar, obtido no Censo Escolar, e as médias de desempenho nas avaliações do Instituto nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e a Prova Brasil - para os municípios.

A escola municipal Marlene Pereira Zuchi, do Jardim Paraíso, teve novamente o melhor desempenho entre as escolas de Camboriú, com a média de 6.3. "Nossa meta é sempre crescer. Foi uma surpresa muito agradável ser a melhor nota do município", comemora a diretora Greyce Honório Correa.

"O desempenho da escola Marlene Pereira Zuchi até nos emociona pelo trabalho de resgate social que vem sendo realizado naquela comunidade", completa a secretária de Educação, Alecxandra Vitorassi Rosa.

A escola Lucinira Melo Rebelo teve o maior crescimento: passou de 3.5 (2015) para 5.2 (2017). "Nossa missão era recuperar o desempenho do município e, mesmo que aos poucos, estamos conseguindo. Temos muito que comemorar. Esse é resultado do empenho de professores e gestores escolares, que não medem esforços para fazer um trabalho de qualidade", declara o prefeito Elcio Rogério Kuhnen.

Com esse desempenho nas séries inicias, Camboriú fica bem próximo da meta do Brasil. Foi estabelecido que o Ideb do país seja 6 em 2022, média que corresponde a um sistema educacional de qualidade comparável a dos países desenvolvidos.


Problema nos anos finais

Os dois últimos anos de ensino fundamental continuam sendo problema em todo o Brasil. Tanto a média nacional, quanto de Santa Catarina e da maioria dos municípios ficou abaixo da meta estabelecida para essa fase.

Em Camboriú a meta estimulada era de 5, mas o índice do município nos anos finais ficou em 4,4. Também o menor da Amfri. Das quatro escolas avaliadas, apenas o Lucirina alcançou a meta.

A Escola Abalor Américo Madeira e o Grupo Escolar Andrônico Pereira não atingiram a meta, porém melhoraram seus Idebs. Mas, a Escola Prefeito Amadio Dalago viu seu índice diminuir em relação a 2015.



linhapopular sim




Logo branca.png

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina