Linha Entrevista

10 perguntas para Márcia Regina Freitag

1 - Em seu ponto de vista, quais os grandes problemas da cidade? De que forma seria possível solucioná-los?
R:
Camboriú sofre com vários problemas como saúde, educação, saneamento básico, abastecimento de água tratada, mas acredito que para o seu desenvolvimento, temos duas situações que são de extrema urgência que é a água e a acessibilidade .O município precisa de desenvolvimento econômico para manter os serviços.É necessário pensar em ser atrativo para investimento. Estarmos numa localização privilegiada, com portos e aeroporto próximos, não temos malha viária adequada, isso implica muito no afastamento de investidores. É preciso ter a visão de que se não produzir recurso não tem como resolver problemas como saúde, educação, lazer e principalmente a infraestrutura do Município. 

2- O que está no caminho certo e o eu precisa mudar em Camboriú? Sobre o trabalho do legislativo, o que pode ser feito além do que já é oferecido?
R:
Acho que a mudança prometida em palanque não aconteceu, pelo menos as promessas não estão sendo cumpridas. Não consigo ver que Camboriú está no caminho certo, apenas algumas ações pontuais, como alguns projetos que foram desenvolvidos na área da educação. Com relação ao Legislativo sinto a necessidade de trabalhar a politização da comunidade, uma vez que a grande maioria não sabe distinguir a função e a responsabilidade de cada um dos poderes.  

3- Você acredita que a câmara está sendo produtiva na sua atuação em sintonia com o cidadão?
R:
Acredito que sim, primeiro porque antes de sermos vereadores somos cidadãos, e vivemos os mesmos problemas que cada um vive, por isso existe essa sintonia. Estamos representantes da população e nossas solicitações são referentes as demandas da municipalidade.   

4- O que tem feito para o cidadão que votou em você fique satisfeito com seu trabalho?
R:
Primeiro dizer que estou representante de todos, daqueles que por escolha me elegeram e também daqueles que escolheram outras pessoas, a minha responsabilidade é com todos.Tive o privilégio de por dois anos estar a frente do Legislativo, onde pude mostrar o quanto é importante ter conhecimento de gestão pública. Fiz o gerenciamento da casa do povo com responsabilidade, além de dar oportunidade para que os vereadores pudessem exercer sua funções sem prejuízo de trabalho, conseguimos reformar o plenário, compramos computadores novos para todos os vereadores, fizemos a galeria histórica do nosso município, compramos um terreno no valor de R$ 780.000,00(setecentos e oitenta mil reais) para futuras instalações do estacionamento do Legislativo e ainda devolvemos recurso para o Executivo. Gosto muito de ser vereadora, a possibilidade de promover melhorias na vida das pessoas através de projetos de leis, fiscalizar a aplicação do recurso público, assessorar o executivo através de indicações, promover debates com a sociedade através de audiências públicas, tudo isso nos aproxima dos problemas enfrentados pela sociedade e nos possibilita buscar soluções através do nosso trabalho. Dentre os meus projetos posso citar alguns que acho importante para o desenvolvimento do nosso município. Projeto de lei das PPPs ( parcerias público privada), Projeto de lei que proíbe a utilização dos canudinhos plásticos, projeto de lei em parceria com vereador Adriano Gervásio Cidade Digital,promulgada por mim enquanto Presidente da casa Legislativa , Lei que cria o banco de ração, medicamentos e utensílios para animais domésticos, Lei que cria o Programa Animal legal , Lei que cria o Banco de materiais ortopédicos, Lei que cria a divulgação dos recursos arrecadados com multa de transito e sua destinação, Lei que obrigada a participação dos produtos da agricultura familiar em eventos organizados ou patrocinados ou apoiados pelo poder executivo., Lei que obriga a instalação de bocas de lobo inteligente em todas as obras da pavimentação, reperfilamento e drenagem no Município, Lei da Maria da Penha nas Escolas. 

5- O vereador é o agente público mais próximo da população e é muitas vezes visto nas ruas. atualmente, com a população desacreditada nos políticos, você se sente seguro para exercer seu trabalho?
R:
Acredito que a política é o caminho mais curto entre o problema e a solução, por isso, sim, me sinto completamente segura, porque estou fazendo meu trabalho, tenho compromisso com a comunidade, ando pelas ruas, participo dos encontros nas comunidades, festas religiosas, bingos beneficentes, enfim, vivo em comunidade. Com relação ao descrédito político a sociedade tem uma parcela de responsabilidade, por que não se preocupam em se politizar, em buscar conhecimento, apenas dizem que não gostam de política, não conseguem ver que tudo passa pela política, seja ela boa ou ruim. 

6- O que um vereador precisa para exercer um mandato produtivo e que beneficie a comunidade?
R:
Precisa viver em comunidade, ter conhecimento suficiente para entender os caminhos da gestão pública, ter conhecimento das demandas do município e buscar através do seu trabalho promover soluções.  

7- Como vereador você tem reivindicado melhorias para a comunidade? Como tem feito isso?
R:
Tenho buscado através de indicações resolver problemas pontuais . Através de projetos de leis assegurar para comunidade políticas públicas mais justas e eficientes, além de buscar recursos de emendas junto aos Deputados Federais e Estaduais, Secretários de Goverrno e Senadores, para implementação de obras e custeio da saúde, como também buscar soluções em órgãos que não fazem parte da gestão municipal como Segurança Pública, Celesc. 

8- Qual é a análise você faz dos três anos da administração do prefeito atual?
R:
Em 2004 fui convidada a ser vereadora pelo então prefeito em exercício, e eu lhe respondi que não, e justifiquei, eu não posso, eu não estou preparada. Essa é a consciência que o prefeito deveria ter tido, as pessoas não podem simplesmente querer ser, as pessoas tem que estar preparadas para se colocar a disposição. O prefeito Elcio, que é médico, foi eleito sem nenhuma experiência de vida pública, e o resultado disto é o que estamos vivendo, não existe governança, não existe planejamento, muito menos comprometimento e sintonia na equipe. Quem não tem conhecimento para comandar, não consegue cobrar resultado dos seus comandados. È uma administração desastrosa.  

9- Em relação à transparência, você acha que está sendo feito um bom trabalho na divulgação dos gastos da casa legislativa? e o que ainda precisa ser melhorado em relação a isso?
R
: Acho que sim, todos os gastos com relação a RH, ao custeio e também capitalização estão a disposição no portal da transparência. O que poderia ser feito para efetivar mais a transparência seria apresentar juntamente com as audiências públicas quadrimestrais das metas fiscais do executivo, as parciais dos gastos do legislativo.  

10- Espaço para suas considerações finais e mensagem aos nossos leitores.
R:
Acho que quando escolhemos um caminho, temos trilhá-lo de cabeça erguida, com sabedoria e humildade, plantando sementes boas. Precisamos ter consciência e saber que encontraremos pedras, e que estas pedras servirão para nos fortalecer e continuar nosso caminho. Gratidão a Deus, gratidão a todas as pessoas que acreditam em mim, que me deram pela a segunda vez a oportunidade de representar a comunidade. Quero pedir a população que não acreditem em falácias, as pessoas precisam comprovar que tem capacidade para representar o povo tanto aqui no Legislativo, mas principalmente no executivo. Quero agradecer ao Jornal Linha Popular pela oportunidade de falar sobre o meu trabalho. 




linhapopular sim




Logo branca.png

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina