Linha Entrevista

10 perguntas para Vilson Albino

No Linha Entrevista dessa semana, o vereador Vilson Albino avalia o desempenho do governo municipal e aponta quais melhorias devem ser reinvindicadas

1 - Em seu ponto de vista, quais os grandes problemas da cidade? De que forma seria possível solucioná-los?
R:
Somamos muitos problemas em nossa cidade. O crescimento desordenado e sem qualquer planejamento promoveu uma série de problemas e demandas como saúde, educação, mobilidade urbana, lazer e esportes e assistência social aumentaram significativamente, é preciso planejar a cidade que queremos. O maior problema hoje sem dúvidas é falta de investimentos na geração de emprego e renda dentro dos nossos limites territoriais, o que proporcionaria desenvolvimento em todas as áreas e maior arrecadação ao município possibilitando soluções para as demais demandas. Nesses três anos como vereador a bandeira que mais defendi foi o desenvolvimento econômico, pois acredito que com planejamento e a criação de núcleos de desenvolvimento na cidade alcançaremos os objetivos. 

 2 -O que está no caminho certo e o que precisa mudar em Camboriú? Sobre o trabalho do Legislativo, o que pode ser feito além do que já é oferecido?
R:
Não vejo a cidade no caminho certo para o desenvolvimento que almejamos, "tem muito ego envolvido", a política precisa ser levada mais a sério em nossa cidade, o interesse coletivo deve sobrepor o individual e isso é difícil de alcançar. Precisamos mudar muitas coisas, há muitos desafios e é preciso três pilares para obter esses resultados: conhecimento, vontade e determinação. O Poder Legislativo é atuante, tem gente qualificada e acredito que poderia estar sendo muito mais produtivo se tivéssemos um Poder Executivo com projeto de desenvolvimento para cidade, mas isso não acontece. Sobre o trabalho do Legislativo o que pode ser feito além do que já foi oferecido é agilidade nas legislações que permitirão o desenvolvimento econômico da nossa cidade, ampliar o diálogo sem vaidades e encarar as necessidades da cidade. 

3 -Você acredita que a Câmara Municipal está sendo produtiva na sua atuação em sintonia com o cidadão?
R:
A Câmara é atuante, mas com certeza poderia ser muito mais produtiva se o Poder Executivo fosse resolutivo. Muitas demandas da população que chegam aos vereadores esbarram na burocracia e má gestão do Poder Executivo. De certa forma isso prejudica a sintonia com o cidadão que muitas vezes não entende que o vereador é limitado ao Poder Executivo para resolver certas demandas, mas no modo geral tenho boa sintonia com o cidadão Camboriuense. 

 4 - O que tem feito para que cidadão que votou em você fique satisfeito com seu trabalho?
R:
Tenho feito meu trabalho com responsabilidade e ética, sou um dos vereadores mais produtivos da câmara nesses três anos de mandato e faço parte da bancada mais produtiva. Levo a sério a política, acredito na transformação da nossa cidade e viso a coletividade. A tarefa de conciliar a vida de empresário, família, estudos e dedicação ao Legislativo é árdua muitas vezes, mas procuro dar meu melhor em todas as áreas. 

5 - O vereador é o agente público mais próximo da população e é muitas vezes visto nas ruas. Atualmente, com a população desacreditada nos políticos, você se sente seguro para exercer seu trabalho?
R:
Me sinto seguro e em paz. Nosso povo é trabalhador, povo guerreiro, as pessoas são de bem. Exerço meu trabalho com tranquilidade. Precisamos entender que ninguém nasce político, nascemos cidadãos. Se o agente é bom cidadão certamente será bom político, daí a importância de analisar em quem você irá votar, conhecer o candidato, ouvir ele e acompanhar seu trabalho. Somente num regime monárquico você irá saber quem é sucessor, num regime democrático como o nosso é aleatório, é permitido ao cidadão mudar sempre que entender necessário através do voto. 

 6 - O que um vereador precisa para realizar um mandato produtivo e que beneficie a comunidade?
R:
O vereador precisa ter conhecimento, vontade e ser bom ouvinte. Conhecimento porque legislar e fiscalizar exige responsabilidade e envolve certa complexidade. Vontade porque as demandas são muitas e exigem do vereador, nada se faz sem vontade. Ser bom ouvinte porque todas as demandas são de conhecimento da população que sente na pele no dia a dia as dificuldades que a cidade apresenta.  

7 - Como vereador você tem reivindicado melhorias para a comunidade? Como tem feito isso?
R:
Faço muitas reivindicações. A principal ferramenta do vereador são as indicações e ofícios para reivindicar as melhorias, muitas das reivindicações poderiam serem resolvidas com apenas um telefonema, mas infelizmente na prática isso é muito difícil. Tem secretários que se quer atendem as ligações do vereador, menos ainda as indicações e ofícios, isso é triste porque o que pedimos é o que a população pede a nós. 

 8 - Qual a análise você faz dos três anos de administração do prefeito atual?
R:
Ineficiente. É um governo que não apresentou um projeto para transformar a cidade com desenvolvimento, não fez a reforma administrativa (indispensável para o município se organizar e crescer), não criou alternativas de desburocratização para atração de investidores, não evoluiu com a questão do saneamento básico no município, trabalhou acima do limite prudencial todos os anos tendo as contas com recomendação para reprovação pelo Tribunal de Contas do Estado, não melhorou a saúde do município, não criou metas para melhorar a mobilidade urbana (Av. Santa Catarina é o exemplo maior das dificuldades que enfrentamos), não fomentou a possibilidade de parcerias público privada. Um governo precisa fortalecer vínculos com os servidores públicos promovendo a valorização, deve dialogar, ouvir a população, o Legislativo e atender as reivindicações e isso não aconteceu.   

9 - Em relação à transparência, você acha que está sendo feito um bom trabalho na divulgação dos gastos da casa legislativa? E o que ainda precisa ser melhorado em relação a isso?
R:
Sempre podemos melhorar. Acredito que com o crescimento tecnológico podemos evoluir mais para aproximar o cidadão da câmara e suas atividades e consequentemente dos gastos da casa. Uma forma de fazer isso seria criar um App para smartphones, isso proporcionaria melhor abertura para a população acompanhar a casa, seus trabalhos e suas despesas.  

10 -  Espaço para as suas considerações finais e mensagem aos nossos leitores.
R:
Quero agradecer ao Jornal Linha Popular e toda a equipe pelo espaço e parabeniza-los pelo trabalho transparente que desenvolvem. Dizer que AMO nossa cidade de Camboriú, sou nascido aqui, empresário em nossa cidade, crio meus filhos aqui e desejo o melhor para Camboriú. Acredito no potencial de desenvolvimento que possuímos e tenho convicção de que é possível crescer muito. Tenho estudado e venho desenvolvendo um plano de desenvolvimento econômico para desenvolver 40 anos em 4 anos no aspecto de agilidade e desburocratização para atração e retenção de empreendedores, sim, é possível transformar Camboriú, costumo dizer que: "quem não faz planejamento, planeja o fracasso", sigo lutando por nossa cidade e a disposição de todos. Deixo um forte abraço a todos os leitores. 



linhapopular sim




Logo branca.png

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina