Natal

Que tal presentear com livros?

Livros são presentes vivos. São resultados de um trabalho que envolve intelecto, alma e coração. Nessa edição, que é a última de 2019, resolvemos pedir sugestões a nossos colaboradores do LP, perguntando: qual livro você daria de presente? Confira e aproveite as sugestões! 

Nosso colunista Tiago Ghilardi indica o livro Portões de Fogo, de Steven Prefield. 

O rei Xerxes comanda dois milhões de homens do Império Persa para invadir e submeter a Grécia. Em uma ação suicida, uma pequena tropa de 300 temerários espartanos segue para o desfiladeiro das Termópilas para impedir o avanço inimigo. Eles conseguem conter, durante sete dias sangrentos, as tropas invasoras. No fim, com suas armas estraçalhadas, arruinadas na matança, lutam "com mãos vazias e dentes". Relatados diretamente ao rei pelo único sobrevivente grego, os fatos são apresentados ao leitor de maneira vívida e envolvente. 

A repórter Nicolle Prado recomenda Paris é uma festa, de Ernest Hemingway 

Paris é uma festa revela um Hemingway diferente. Em Paris, aos 22 anos, ele lê, pela primeira vez, clássicos como Tolstói, Dostoievski e Stendhal. Convive com Gertrude Stein, James Joyce, Ezra Pound, F. Scott Fitzgerald, figuras polêmicas e encantadoras para o jovem autor. A cidade e esses "companheiros de viagem" deram-lhe nova dimensão do humano e maior sensibilidade para alcançar os seus dois objetivos primordiais na vida: ser um bom escritor e viver em absoluta fidelidade consigo próprio.

João Capistrano, colunista jurídico, indica Me Poupe, de Nathalia Arcuri

Nathalia Arcuri é criadora do Me Poupe!, maior canal de finanças do mundo no YouTube. "Os fãs do canal Me Poupe! não vão se decepcionar. A autora venceu o desafio de levar para o papel a linguagem que se tornou sua marca registrada, o que deve fidelizar multidões e reforçar o propósito de seu trabalho. "Você tem em mãos um instrumento de transformação. Leia-o com sabedoria e coloque em prática o que encontrar aqui. Sua vida será outra, certamente mais rica, depois desta leitura." Quem garante é o economista Gustavo Cerbasi.

Karina Elisa, a colunista de todas as gerações do LP recomenda a Bíblia Sagrada. "O mundo está precisando aprender com o amor", declara. 

Luiz Antonio Tecau, editor do LP traz como indicação o livro Escravidão, de Laurentino Gomes. 

Laurentino Gomes dedica-se a uma nova trilogia de livros-reportagem, desta vez sobre a história da escravidão no Brasil. Resultado de seis anos de pesquisas e observações, que incluíram viagens por doze países e três continentes, este primeiro volume cobre um período de 250 anos, do primeiro leilão de cativos africanos registrado em Portugal, na manhã de 8 de agosto de 1444, até a morte de Zumbi dos Palmares.  

Leitora e anunciante do Linha Popular, Lizie Dalago Jacob recomenda A guerra não tem rosto de mulher, de Svetlana Aleksiévitch 

A história das guerras costuma ser contada sob o ponto de vista masculino: soldados e generais, algozes e libertadores. Trata-se, porém, de um equívoco e de uma injustiça. Se em muitos conflitos as mulheres ficaram na retaguarda, em outros estiveram na linha de frente. É esse capítulo de bravura feminina que Svetlana Aleksiévitch reconstrói neste livro absolutamente apaixonante e forte. Quase um milhão de mulheres lutaram no Exército Vermelho durante a Segunda Guerra Mundial, mas a sua história nunca foi contada. Svetlana Aleksiévitch deixa que as vozes dessas mulheres ressoem de forma angustiante e arrebatadora, em memórias que evocam frio, fome, violência sexual e a sombra onipresente da morte.

Aproveite as sugestões e boa leitura! 



linhapopular sim




Logo branca.png

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina