COLUNAS



LINHA SAÚDE MENTAL

com


Joyce de Almeida Cruz

​PROCRASTINAÇÃO




Foto: Divulgação


Sabe quando temos pendências pra resolver e não fazemos ou então precisamos tomar decisões sobre algumas coisas em nosso dia a dia e adiamos? O famoso “empurrando com a barriga”, deixando para resolver no o dia seguinte e esse dia nunca chega.  

Identificou-se com o enunciado da coluna? Conhece alguém que se enquadre nessa descrição? Comportar-se assim tem um nome, chama-se procrastinar.

Em consulta no dicionário o termo procrastinação significa: “Ação ou efeito de procrastinar; deixar para depois; adiar (www.dicio.com.br)”.

Mas por que isso acontece? Por que algumas pessoas funcionam assim?

Somos procrastinadores em várias situações da nossa vida, em relação ao trabalho, estudos, saúde, relacionamentos, dentre outros. Procrastinamos o que achamos trabalhoso e difícil de resolver ou o que vai demorar pra gerar resultados favoráveis, em contrapartida tudo que é um gerador de prazer imediato é priorizado e geralmente conseguimos ser mais atuantes.

O procrastinador sempre tenta adiar suas pendências arranjando desculpas para não se posicionar e resolver suas demandas. Geralmente procrastina as tarefas mais complexas, que demandam muito esforço ou as consideradas chatas.

Nós seres humanos tendenciosamente queremos fazer somente as coisas fáceis e não precisar se esforçar tanto pra alcançar outros resultados, isso porque mudar ou tomar alguma atitude exige esforço e resultados que nem sempre queremos ou estamos preparados para assumir e enfrentar.

Em consultório observo muitas pessoas procrastinando tomadas de decisões importantes para a saúde mental e física: seja de interromper o casamento que não está mais funcionando, concluir o curso que entende ser importante, conversar sobre um assunto importante com alguém por medo da repercussão, iniciar uma dieta, fazer a higiene do sono, iniciar atividades físicas, procurar um novo trabalho, etc. A preguiça também aparece como um potencial agente procrastinador.

Toda tomada de atitude ou mudança de comportamento fará uma exigência de nós, ou seja, mudanças terão que acontecer e precisam ser sustentadas e isso implica num grande esforço, tanto nos processos mentais quanto na adequação dos hábitos e comportamentos. Sempre será desconfortável tomar qualquer atitude porque implica em desdobramentos que deverão ser responsabilizados por nós, no caso quem tomou a decisão/atitude.

Mas até agora o que foi exposto nos faz ter uma imagem ruim da pessoa que age assim, então vamos pensar em como essa pessoa se sente. A pessoa procrastinadora sofre, sofre por não conseguir resolver suas coisas sem adiar, sofre por entrar num processo de autocobrança, e sofre porque no geral as pessoas ao seu redor não a entendem e lhe tratam como irresponsável ou preguiçosa. O ato de procrastinar é perigoso e pode potencializar o surgimento de sofrimento psíquico intenso como ansiedade e depressão.

Importante destacar que se trata de um problema tratável. Na coluna anterior abordamos a questão dos comportamentos que são aprendidos, e muitos desses comportamentos aprendidos nos enraizaram numa crença negativa sobre nosso próprio potencial, de demérito e incapacidade de concretizar nossas coisas porque achamos que não vamos conseguir, o problema maior é que viver assim nos coloca numa posição de procrastinação e desistência de resolução.

A pessoa que se encontra nesse funcionamento sofre porque tomar ou não tomar algum posicionamento é desgastante, geralmente essa pessoa precisa de ajuda para seguir em frente e enfrentar seus medos e inseguranças. 

Caso você tenha se identificado ou conheça alguém nessa condição talvez seja importante considerar a busca por ajuda, nesses casos o profissional da psicologia é recomendado, em psicoterapia ele pode ajudá-lo a identificar os porquês de sua forma de agir, estimular a criação de alternativas para enfrentar a vida de forma madura e coesa, auxiliar na criação de estratégias para organizar seu dia a dia te estimulando a identificar as prioridades de sua vida, tomar decisões responsáveis e a assumir as consequências de suas próprias ações.
Você é capaz de enfrentar seus próprios desafios! Faça isso por você!
 
Joyce de Almeida Cruz
Psicóloga Clínica
CRP 12/11350
(47) 99905 2536 – whatsapp
Joyce.cruz.5473 - instagram
 

Sobre Joyce de Almeida Cruz

Psicóloga


Sobre a Coluna

Linha Saúde Mental

Uma coluna que reúne assuntos relacionados a saúde mental a partir do olhar da psicologia. Temas que podem ajudar as pessoas a lidarem com suas emoções e sentimentos, e ajudar ainda na compreensão sobre temas do dia a dia a fim de promover a saúde mental de todos, com a psicóloga Joyce Almeida.


COMENTÁRIOS