POLÍTICA

Vereadora Jane comemora absolvição de Carlos Moisés: "Não havia motivo para cassação"
Membro do mesmo partido, a vereadora acredita que não havia motivos para a cassação, mas sim que a situação se tratava de ataques políticos




Foto: Divulgação

Na tarde da última sexta-feira (27), Carlos Moisés da Silva foi absolvido pelo Tribunal Especial de Julgamento do Impeachment. O governador afastado por cerca de um mês e agora, com o final do processo, poderá voltar ao cargo. 

Nesta última parte da votação, Moisés recebeu seis votos pelo arquivamento, três pela cassação e uma abstenção. Três membros mudaram seu voto da primeira votação, sendo eles Schuster (PSB) e Eskudlark (PL) que haviam votado pelo seguimento da denúncia e agora votaram pela absolvição, e Vampiro (MDB) que também votava pela cassação, mas desta vez, se absteve. 

Ainda na sexta-feira, Moisés já reassumiu o cargo automaticamente, e Daniela Reinehr, que estava como governadora interina, voltou a ser vice. 

Membro do mesmo partido, o PSL, Jane Stefenn, vereadora de Camboriú comenta o resultado do Julgamento do Impeachment: “Eu já contava com a absolvição. Pelo meu entendimento, não havia motivo para a cassação, mas sim ataques políticos”, diz. Para ela, com a absolvição, o governador deve, agora, focar em ações mais efetivas para os catarinenses, principalmente em medidas para o controle da pandemia, que cresce cada dia mais no estado, com 358.997 casos confirmados de Covid-19 e 3.721 mortes.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |   14/01/2021 22h15





POLÍTICA  |   07/01/2021 17h21